Zinabre e Instituto Brava criam Joint Venture em Santa Catarina

O novo Zinabre
Há 13 anos o Zinabre está no mercado do entretenimento e da internet. É impossível calcular quantos sorrisos foram clicados, quantos momentos registrados e quantos parceiros fizeram parte desta rica história.

Publicar fotos de baladas?
Registrar e divulgar o entretenimento, as pessoas em seu momento de lazer?
Criar sites para empresas?

Hoje, tudo isso é comum. A maioria das pessoas gosta deste registro, procura suas fotos e de seus amigos logo no dia seguinte. E as empresas também estão cada vez mais nesse meio virtual. Em 2013, basicamente, se você está fora da internet, está fora do mercado. Treze anos atrás, porém, era totalmente diferente.
O curioso é que, no início dos anos 2000, a internet era um território inexplorado pelo grande público. Formas de uso que já existiam em outros países faziam parte de uma distante imaginação no Brasil, o que tornou o Zinabre um empreendimento “aventureiro” em sua essência, no melhor sentido da expressão.
Fabio Lancini, o criador do Zinabre, destaca que seu instrumento principal na época – a fotografia digital – era também a “invenção” do momento. “Assim, tinha a ideia de construir uma rede de pessoas que gostam de se divertir e frequentar bons lugares”, explica.

Agora, o Zinabre se prepara para uma nova fase, em que irá ampliar suas possibilidades. Em primeiro lugar, o antigo site passa a ser um portal multimídia que levará ao público notícias, dicas, fotos, vídeos e muito conteúdo. É claro que estes novos elementos também servirão para temperar as tradicionais coberturas de eventos, que seguirão ainda mais fortes e variadas.
Ao mesmo tempo, todo o conhecimento e ferramentas serão oferecidos a clientes, sejam pessoas físicas ou empresas. Criação de websites, e-mail marketing, informes publicitários, coberturas de eventos e assessoria para os próprios sites e redes sociais: o que o Zinabre faz em seu próprio portal, também poderá executar para futuros parceiros.

Para esta mudança, a empresa agrega o conhecimento do jornalista Guilherme Flores, um dos sócios do Instituto Brava, em uma joint venture que possibilitará a quebra de paradigmas que o Zinabre pretende alcançar. “Trabalhar neste projeto é uma grande honra e as possibilidades me animaram desde o convite do Fabio. Poder aplicar os conhecimentos do jornalismo – e da comunicação em geral – sem limitar a criatividade, com conteúdo diversificado e uma linguagem diferente é uma oportunidade rara!”
Para Lancini, este novo canal deve levar a melhor informação para as pessoas da região em que atua, explorar o entretenimento de forma profissional e com credibilidade. “Queremos apresentar ao grande público quem são os autores deste mundo de alegria que poucos sabem aproveitar”.

O pai do Zinabre acredita que não há mais limites em espaço e conteúdo: “Podemos estar em qualquer lugar e falar sobre qualquer assunto que interesse ao público. E este é o foco: conteúdo classe ‘A’ para as pessoas que consomem este meio e possuem este estilo de vida”.