Foto Gu Remor

Após quase 1 ano esperando a Tribal Tech, desde sua última edição em 2017, chegou o dia.

Aterrizamos em terra Curitibana, com o melhor clima possível, para o melhor dia possível, com céu limpo, sol rachando, sem vento, um típico dia de verão, porém ainda um fim de inverno junto com as primeiras horas se adentrando ao primeiro dia de primavera. Logo nas filas de entrada, já percebia que realmente era uma mistura de cultura, de estilos, etnias, música eletrônica com a galera do rap juntando com a do rock, começa a Tribal Tech Einlighten.
FOTO EBRAIM MARTINI
FOTO EBRAI M MARTINI

 

16h em ponto, entramos na pista de Trance, e a energia pra um começo de festa 
estava incrível, a única pista totalmente aberta, que sentia o ar puro a todo instante,
muito espaço para dançar, com 4 torres de som em volta do 3DDTRIP.
Chegamos na hora de um dos Headline mais esperado da festa, FLEGMA, que mandou um Progressive Trance
altamente psicodélico, com groove muito pesado e com melodias intensas a todo instante,
muita batucada e os breaks demoravam o tempo suficiente para virar, perfeito para  entrar no clima da pista.
O sérvio Flegma agitou a galera do começo ao fim, a pista ainda não estava cheia,
mas quem estava lá viu o que o Progressive Trance, é capaz de fazer em uma tarde com um sol rachando e com uma pista colorida daquelas. Foto EBRAIM MARTINI

 

Finalizando o set entre 135 BPM do FLEGMA, fomos direto conhecer a Tribal Tech Stage, que estava para ser a pista mais recheada com o creme do Techno.  Chegamos para ver um dos cara da tão famosa e respeitada Label, AFTERLIFE, que só quem conhece realmente entende o que um Afterlife é capaz de fazer, e lá estava ele, anos de pista, mixagem e vida de DJ, Patrice Baumel com um Techno mais introspectivo, melódico, brincando entre os 122bpm muito bem swingado, com o sol começando a baixar, conseguiu fazer seu trabalho, apesar de ser um som que combinaria mais com 23h da noite, o fim de tarde conseguiu se encaixar da melhor maneira possível. Foto GU REMOR

 

Logo em seguida mudando realmente da água para o vinho, la vem eles, olha eles, sim Solardo! A dupla da house music diretamente da Inglaterra , chegou com atitude em Curitiba, mostrando que sabe fazer uma ótima transição de um Techno Melodico de 122, para um Tech House de 126 Bpm, totalmente dançante, com o graves mais pesado. Foi o prato mais cheio de Tech House que a Tribal Tech Stage viu, se a galera ainda estava em duvida,sim, ali tinha acabado de começar a festa! Noite caindo, os telões começavam a aparecer melhor, muitas luzes em todas as viradas que Solardo soltava, a pista começava a ter mais vida, mais cor e mais publico!

 

Logo em seguida, foi a vez de dar um Ar pra cabeça, e apreciar o que o Brasil tem a oferecer, voando para ver o show do Planet Hemp e conhecer o Organic Beat. O palco deu uma grande mudada, não é mais aberto, fizeram um palco especifico com uma tenda e era fechado em cima e com deck em baixo. Sem duvidas, a pista mais cheia ate o momento, era muita gente, difícil de ter acesso na frente do palco, bares cheios, Planet Hemp chamou demais. Tocando todos os hit, Legalize já, Stab, Dig Dig Dig, Esquadrilha da fumaça, fizeram a galera ficar até o ultimo grito do D2. Rolou homenagem ao MR Catra, rolou #Elenao, rolou Mariele Eterna, rolou de tudo um pouco, se era multicultural essa tribaltech, a cultura começou ali.   FOTO: GU REMOR

 

Logo em seguida, as 20h, fomos direto para a Time Tech, ver um cara que ninguém conhecia, mal se ouve falar, e que nem esperava muita coisa. Chegando la, com aquela pista incrivelmente cheia de Led, total escura e com um ar bem underground, Sammy Dee, com um minimal bem raiz, bem swingado e nos seus 124-126 bpm por ai, um som totalmente incomum do que costumamos a ver pelas festas de PR e SC. Diretamente de Berlin, veio com uma bagagem surpreendente para quem é chato com musica eletrônica, bem feita e bem mixada. Sò quem estava la na hora, entendeu um pouco do que o Minimal raiz é capaz de fazer, e eram apenas 20h da noite, sim o top 3 da Tribal Tech Enlighten, era o Sammy Dee!  FOTO: GU REMOR

 

Após aula de Sammy Dee, voltamos ao começo, sim, de volta para o trance parte 2. Era a hora de mostrar o que a toda poderosa Zenon Records veio a nos oferecer naquele dia. Era 22h passada e BPM já passava dos 135, chegando a bater 138 em algumas horas, Fabio Leal, o cara que representa a Zenon Record no Brasil, mostrou o Prog Dark que pouca gente esta acostumado. Groove realmente pesados, com break demorados, transitava entre Psipiralife Sensient, Merkaba. E foi assim ate o fim do set, o acelero tomou conta daquele fim de noite e madrugada a dentro, que foi o verdadeiro levanta defunto.

 

FOTO EBRAIM MARTINI
De volta a Tribal Tech Stage novamente, Bem Klock, esperado por muitos para aquela noite, o que esperar do residente do Berghain ? Pouco? Muito? Mais do mesmo ? Bem Klock é sempre o que todos esperam, o Techno mais reto e maçante possível ! Bem Klock veio para esmagar qualquer um a sua frente, estavamos com muita disposição e preparado para aguentar os 128bpm com grave batendo forte na pista, laser beam factory estava lindo demais de se ver, parecia um filme rodando ao vivo. O peso do grave ele soltou, muita bateria, pouca pausa, muita pressão, aquele som que grande parte dos Techneiro de plantão amam. Foto Gu Remor

Enfim, esse foi apenas um resumo do que foi a TribalTech 2018 Enlighten para nós do Zinabre.com.
Acessem a pagina da Tribal Tech no facebook e vejam mais fotos
Até o ano que vem!

Comente no Facebook

Comentários

TribalTech 2018 Enlighten

Category: CoberturasFotosNotícias