Ciclista é exemplo de superação e persistência

Conheça Flávio Yamil Gómez

Há seis anos, o ciclista Flávio Yamil Gómez começou a disputar em campeonatos. O primeiro desafio foi um Audax, que são passeios ciclísticos onde o principal objetivo é completar o passeio proposto dentro do limite de tempo máximo estipulado para cada distância. Mas para chegar a disputar um Audax, é preciso que o participante conquiste alguns “brevets” durante o ano, completando assim primeiro um percurso de 200km dentro do prazo estipulado, e depois, realizar um desafio de 300km, assim por diante. Quem consegue completar a série até o percurso de 600km no mesmo ano, recebe o título de Super Randonneur. 

No primeiro desafio de Flávio, o ciclista deveria pedalar 200km em menos de 14 horas na cidade de Criciúma, Santa Catarina. Ao final do campeonato, Flávio só havia pedalado a metade da quilometragem determinada, mas não se deu por vencido. No ano seguinte, em 2009, lá estava ele novamente determinado a completar o percurso, e conseguiu. A partir daí a meta de Flávio foi aumentando, e ele disputou campeonatos onde a meta era cumprir 300, 400, 600km até que chegou no maior desafio de todos: o Paris-Brest-Paris, o desafio mais antigo do mundo.

O percurso deste campeonato é de 1230km e deve ser completado em 90 horas. A largada começa em Saint-Quentin-en-Yvelines, uma cidade próxima de Paris, passando por Brest na Bretanha, e retorna para o ponto de partida. Para receber a credencial e conseguir participar do desafio, é preciso realizar anteriormente uma série de quilometragens. Em 2011, cerca de 5200 pessoas do mundo todo disputaram o desafio, e 50 ciclistas brasileiros estavam inscritos no campeonato. Apenas 25 completaram o desafio, e Flávio foi um deles. Nos quatro dias do Paris-Brest-Paris, o ciclista andou com a bike Kestrel, fabricada em 1990, feita de carbono e dormiu apenas 6 horas. Passou por várias vilas medievais e estradas terceárias, enfrentando chuva, cansaço, frio e alucinações. Tudo isso com muita determinação e superação. 

Em abril deste ano, Flávio acompanhou o pai, de 64 anos, no primeiro desafio dele, um Audax, em Florianópolis. Os dois percorreram 100km juntos. Em janeiro de 2015, o ciclista quer fazer a “La Vuelta de Puerto Rico”, um desafio onde o ciclista tem que percorrer 600km em três dias. A história de Flávio serve de iniciativa para muitas pessoas. Como ele mesmo diz: “Acabo influenciando muitas pessoas a começar a pedalar. Elas se interessam pelas histórias e decidem começar a pedalar também. Já influenciei várias pessoas, apenas dando o meu exemplo”.

Flávio nasceu no Uruguai e mora no Brasil desde os sete anos de idade. É empresário na área de desenvolvimento de software e pratica ciclismo de estrada desde 2008. Treina natação, musculação e spinning. Conquistou o Super Randounner em 2010 e 2011.

Reportagem: Bárbara Werner/Diário do Esportista